Sexta, 05 de Junho de 2020 10:37
(99) 991612367
Saúde Corona Virus

Vigilância Sanitária de Imperatriz notifica venda ilegal de medicamentos

Desde o início da pandemia da Covid-19, o órgão tem aumentado a fiscalização da venda de remédios ilegais na cidade, pois as denúncias se tornaram mais frequentes.

14/05/2020 16h25
152
Por: Imperlove Fonte: Assessoria
Vigilância Sanitária de Imperatriz notifica venda ilegal de medicamentos

A Vigilância Sanitária de Imperatriz, no sul do Maranhão, está notificando a venda ilegal de medicamentos em farmácias da cidade. Segundo o órgão, desde o início da pandemia do novo coronavírus, a coordenação da Vigilância Sanitária tem aumentado a fiscalização da venda de remédios ilegais na cidade, pois as denúncias se tornaram mais frequentes nas últimas semanas.

O órgão afirma que estão sendo vendidos antibióticos e medicamentos, que são restritos apenas a hospitais. Os remédios foram encontrados em diversas drogarias de Imperatriz, onde também estavam vendendo produtos fracionados, em desacordo com as normas estipuladas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“A Anvisa vem lembrar que é proibida a venda de produtos hospitalares em drogarias, como também a venda de antibiótico por drogarias que não são permitidas para este fim, como também, proibido o fracionamento de tais medicações”, informa a chefe do Núcleo de Produtos da Vigilância Sanitária, Drielly Fregona.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Sanitária de Imperatriz, Valdenice Ribeiro, as fiscalizações nas drogarias da cidade estão mais frequentes, pois, nos últimos dias, as pessoas estão denunciando de forma mais assídua.

“Estão fracionando os antibióticos, que devem ser vendidos em suas embalagens originais de produção. Então está acontecendo muitas denúncias, e estamos fiscalizando em função da prevenção da Covid-19”.

Ações contra a Covid-19

Segundo a Prefeitura de Imperatriz, as secretarias municipais estão trabalhando em conjunto para fiscalizar o funcionamento de estabelecimentos da cidade que não cumprem as normas e a legislação vigente, bem como os decretos municipais.

Alguns locais que não deveriam funcionar e estavam com as portas abertas, foram notificaram na semana passada pela Vigilância Epidemiológica de Setor e Vetores em parceria com as polícias Civil e Militar.

Já a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano (Seplu), em parceria com a Guarda Municipal, fiscalizou e notificou locais que não estipularam distância mínima entre as pessoas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Anúncio