Sexta, 16 de Abril de 2021 07:56
(99) 991612367
Anúncio
Cidades MEDIDAS SANITÁRIAS

Governador do Maranhão anuncia suspensão de festas e aulas, diminuição do horário do comércio e auxílio para artistas

O novo decreto valerá de 5 a 14 de março em todo o Maranhão, com exceção da diminuição do horário de funcionamento do comércio, que só vale para a Região Metropolitana de São Luís.

03/03/2021 13h21
10.123
Por: Kennedy Rocha Fonte: Redação
Governador do Maranhão anuncia suspensão de festas e aulas, diminuição do horário do comércio e auxílio para artistas

Em coletiva realizada na manhã desta quarta-feira (3), o governador do Maranhão divulgou uma série de medidas restritivas para conter a proliferação da Covid-19, por meio de um novo decreto que valerá de 5 a 14 de março.

O governador divulgou que estão totalmente suspensos festas, shows e eventos de qualquer natureza em todo o Estado do Maranhão. E para que o setor cultural não seja mais prejudicado, o Estado vai lançar um novo editar de auxílio para os artistas, com mil vagas no valor R$ 1.500 para cada apresentação. O edital sai nesta quarta, com inscrições a partir de 10 de março, o total a ser investido é de R$ 1,5 milhão.

Quanto aos estabelecimentos comerciais na Região Metropolitana de São Luís, eles não serão fechados, apenas terão mudança no horário de funcionamento, abrindo, obrigatoriamente, de 9h às 21h. Flávio Dino afirmou que essa medida se restringe à Grande São Luís, porque é onde há maior sobrecarga e maior aglomeração no transporte coletivo.

No caso da mudança no horário de funcionamento do comércio , pode haver exceções, mas as empresas devem entrar com requerimento na Secretaria de Indústria e Comércio, que avaliará a situação.

Quanto as escolas e universidades, o governador informou que está suspendendo as aulas presenciais tanto na rede pública quanto particular. Poderá haver, apenas, aulas remotas.

Estão sendo suspensas, também, as atividades presenciais dos servidores públicos estaduais, que não exerçam atividades essenciais.

“O objetivo é desaglomerar, tirar pessoas de dentro do transporte coletivo, de dentro das repartições que ficam aglomeradas, para garantir que haja uma menor circulação do vírus nesse período. Os serviços essenciais continuam a funcionar, assim como o trabalho remoto quando for possível. Após esse período de 15 dias, vamos avaliar”, explicou.

Dino disse, ainda, que os trabalhadores do grupo de risco, mesmo que trabalhem em serviços essenciais, devem ser afastados. A regra vale para funcionários públicos e privados.

A outra medida, segundo o governador, foi a pedido das entidades empresariais, que pediram a adoção de fiscalização mais rígidas nas lojas, comércios, entre outros. O governador disse que uma reunião com os órgãos de segurança está sendo feita, para definir essa fiscalização que será mais rigorosa no Estado.

Vacinação

O governador destacou que o governo do Estado não vai entregar as novas doses da vacina CoronaVac que o Estado recebeu nesta quarta, para os municípios que não comprovarem pelo menos 60% de aplicação das doses anteriores.

“O município recebe as vacinas. Ao recebê-las, aplica, e tem o dever de alimentar o sistema informatizado do Ministério da Saúde. Não podemos lutar por mais vacinas enquanto no sistema não aparece como aplicada. Então eu decidi, consta no decreto que vou assinar, que dessas 62.400 doses de CoronaVac recebidas nessa madrugada, só haverá repasse aos municípios que comprovarem a aplicação de pelos menos 60% das doses já recebidas anteriormente. Porque, por alguma razão, no sistema não constam as vacinas como aplicadas”, afirmou.

Dino destacou que as medidas sanitárias adotadas são fruto de uma série reuniões com vários segmentos institucionais e sociais, visando a análise do quadro sanitário no Maranhão. O governador destacou que o Brasil está enfrentando o seu pior momento desde o início da pandemia, sendo que nessa terça (2), o país bateu o recorde no número de óbitos em um só dia. Diante da gravidade do problema, é preciso tomar medidas sanitárias desde as mais simples até as mais complexas.

O governador disse, ainda, que no Maranhão houve um crescimento de casos ativos, mas o Estado conseguiu reverter o crescimento da taxa de ocupação de leitos de UTI e clínicos, por meio da abertura de novos leitos.

Sobre a adoção de medidas mais simples, Dino e destacou o uso de máscara, para se ter uma barreira física contra a transmissão do vírus. E afirmou que o uso de máscara não faz mal.

“Não acreditem em versões disparatadas, criminosas, segundo as quais o uso de máscaras faz mal para a saúde, mesmo que sejam altas autoridades a difundir essas falácias, não acreditem. Basta raciocinar em termos bem simples, bem claros. Por que os médicos e médicas e profissionais de saúde de modo geral, quando estão nos hospitais trabalham com máscaras? Eles estão protegendo a sua saúde e dos pacientes”, destacou.

Flávio Dino também citou que ouviu falar que distanciamento não funcionava, e afirmou que essa prática é sim, de fato, eficaz. Por isso, todas as medidas que tomou são com base em manter esse distanciamento, para evitar aglomerações que podem ser adiadas.

“Não é tempo de festas. Mesmo que você não tenha medo do coronavírus, respeite quem tem. Mesmo que você já tenha tido o coronavírus, saiba que você pode ter de novo e pode ser mais grave. Pessoas da sua família podem morrer”, ressaltou Dino.

O governador afirmou que há outras situações que levam os hospitais a ficarem lotados, como acidentes e outras doenças, mas se os hospitais estiverem cheios de pacientes com coronavírus não há como atender as outras demandas.

 

Flávio Dino destacou que as regras precisam ser cumpridas, para que medidas mais rígidas não sejam tomadas.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio